TST abre código-fonte de sistema desenvolvido para o eSocial

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) anunciou a disponibilização para todos os órgãos públicos que tiverem interesse o código-fonte do sistema eSocial-JT. A ideia é ajudar outros órgãos a cumprir a legislação em caso de eventual falta de equipe capacitada para trabalhar no sistema.

A ferramenta, desenvolvida pela Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação do TST, permitirá a transferência de dados entre instituições e o eSocial do Governo Federal.

Para o secretário de Tecnologia da Informação e Comunicação do TST, Humberto Magalhães Aires, a abertura do código-fonte permitirá a economia de recursos para a administração pública. “Na Justiça do Trabalho, para parte do projeto, tivemos, durante um ano e meio, 12 servidores com dedicação exclusiva. É recurso humano precioso e caro que se repete nos demais órgãos da administração pública federal. Todos eles têm que fazer a mesma coisa”, explica o secretário.

As instituições poderão manter sistemas próprios e, sem custo adicional, utilizar o eSocial-JT para enviar as informações de forma padronizada, segura e confiável para o eSocial do Governo Federal.

eSocial

O Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas – eSocial é um projeto do Governo  Federal que  vai unificar o envio de informações pelos empregadores, entre eles órgãos públicos, sobre seus empregados. O uso do sistema passará a ser obrigatório para o setor público a partir de 1° de janeiro de 2019.

Para cumprir a determinação, o TST começou a desenvolver a plataforma eSocial-JT para unificar informações das obrigações. Contribuições previdenciárias, folha de pagamento, comunicações de acidente de trabalho e FGTS também estão entre as informações a serem unificadas no novo sistema.

O desenvolvimento do sistema conta com parcerias do CSJT com técnicos dos Tribunais Regionais do Trabalho da 2ª Região (SP) e da 11ª Região (AM) e do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT).

Fonte: Convergência Digital

Pin It on Pinterest